Depressão – Sintomas, Causas e Tratamento

A depressão é comum. Os sintomas podem afetar a vida diária e podem se tornar muito angustiantes. Os tratamentos incluem tratamentos de conservadores (psicologo, terapias alternaticas, etc) e remédios antidepressivos. O tratamento leva tempo para funcionar, mas tem uma chance boa de sucesso.

Algumas pessoas repetiram episódios dessa doença e exigem tratamento de longo termo para manter os sintomas afastados.

A palavra “depressivo” é comum do cotidiano. As pessoas podem dizer “eu estou depressivo” quando na realidade querem dizer, “eu estou insatisfeito porque perdi meu emprego, falhei em uma prova”.

Estes altos e baixos da vida são comuns e normais. A maioria das pessoas se recupera muito rapidamente. Com a depressão real, há sintomas de humor reduzido e outros a cada dia, por ao menos 2 semanas. Os sintomas podem também se tornar graves o suficiente para interferir com as atividades do dia a dia que são normais.

Em torno de 5 em 100 adultos têm depressão a cada ano. Às vezes, é leve ou dura apenas algumas semanas. No entanto, um episódio de depressão grave o suficiente para exigir tratamento ocorre em torno de 1 em 4 mulheres, e 1 em 10 homens, em algum ponto de suas vidas. Algumas pessoas têm 2 ou mais episódios de depressão em vários momentos de suas vidas.

 

depressao
depressao

Sintomas

Muitas pessoas conhecem quando estão depressivas. No entanto, algumas não percebem quando estão depressivas. Elas podem saber que não estão bem e não estão bem em suas funções, mas não sabem o motivo. Algumas pensam que têm uma doença física, por exemplo, se perdem peso. Há uma série de sintomas que são associados com depressão e ajudam a clarear o diagnóstico.

 

Sintomas Chave

– Tristeza persistente ou humor reduzido. Isso pode ser com ou sem choro.

– Perda marcada de interesse ou prazer nas atividades, até por atividades que normalmente gosta.

 

Outros Sintomas Comuns

– Sono perturbado comparado com o padrão usual. Isso pode ser difícil em dormir, ou acordar cedo e ser incapaz de voltar a dormir. Às vezes é dormir muito.

– Mudança no apetite. Isso é muitas vezes com apetite precário e perda de peso. Às vezes o reverso acontece com alimentação confortável e ganho de peso.

– Cansaço, fadiga, ou perda de energia.

– Agitação ou retardo dos movimentos.

– Pouca concentração ou indecisão. Por exemplo, é possível achar difícil ler, trabalhar. Até tarefas simples podem parecer difíceis.

– Sensação de desvalorização, ou culpa excessiva ou inapropriada.

– Pensamentos recorrentes de morte. Isso não é geralmente um medo da morte, mais uma preocupação com morte e morrer. Para algumas pessoas, os pensamentos desanimados como “a vida não vale” ou “eu não me importo se eu não acordo”, são comuns. Às vezes estes pensamentos progridem em pensamentos sobre, e até planos, para suicídio.

 

Diagnóstico da Depressão

Um episódio de depressão é geralmente diagnosticado se tiver ao menos 5 dos 9 sintomas acima, com ao menos um destes um sintoma chave, e:

– sintomas causam angústia ou prejudicam as funções normais, como afetando o desempenho no trabalho, e

– sintomas podem ocorrer a maior parte do tempo na maioria dos dias e duraram ao menos 2 semanas, e

– os sintomas não são devido ao efeito colateral do medicamento, ou errado uso de droga ou álcool, ou a uma condição física como tireóide ou glândula pituitária insuficiente.

Muitas pessoas depressivas dizem que seus sintomas são muitas piores inicialmente pelo dia. Além disso, com a depressão, é comum desenvolver sintomas físicos como dor de cabeça, palpitações do coração, dor no peito e dores gerais.

Algumas pessoas consultam um médico primeiro, porque têm um sintoma físico como dores no peito. E estão preocupadas que possam ter um problema físico, como condição cardíaca quando é realmente devido à depressão.

Essa patologia é na realidade uma causa muito comum de sintomas físicos. Mas, o oposto é também real. Isso é, pessoas com condições físicas graves são mais propensas do que a média a desenvolver depressão. Algumas pessoas com essa doença severa também desenvolvem ilusões e ou alucinações.

Estes são os chamados sintomas psicóticos. Uma ilusão é uma crença falsa que uma pessoa tem, e a maior parte das pessoas da mesma cultura concordaria que está errado. A alucinação significa ouvir, ver, sentir, cheirar, ou sentir o sabor de algo que não é real.

 

Graduação da Patologia

O grau de depressão pode variar de pessoa para pessoa. A gravidade é geralmente dividida como:

– Depressão severa – normalmente a pessoa teria a maioria ou todos os 9 sintomas listados acima. Além disso, os sintomas interferem com as funções normais.

– Depressão moderada – a pessoa normalmente teria mais do que 5 dos sintomas que são necessários para fazer o diagnóstico de depressão. Além disso, os sintomas geralmente incluirão bem como os sintomas chaves. Além disso, a gravidade dos sintomas ou dano da função está entre leve e grave.

– Depressão leve – normalmente teria 5 dos sintomas listados acima que são exigidos para fazer o diagnóstico de depressão. No entanto, a pessoa não é provável a ter mais do que 5 ou 6 dos sintomas. Além disso, a função normal é apenas prejudicada levemente.

– Depressão sub-limiar – se tem menos do que os 5 sintomas necessários a fazer um diagnóstico de depressão. Assim, não é classificado como depressão. Mas, os sintomas que tiver estão incomodando e causam angústia. Se esta situação persiste por mais de 2 anos, é às vezes chamada de distimia.

 

Causas da Depressão

A causa exata não é conhecida. Qualquer um pode desenvolver depressão. Algumas pessoas são mais propensas a isso, e pode se desenvolver sem razão aparente. A pessoa pode não ter problema particular ou preocupação, mas os sintomas podem se desenvolver muito repentinamente.

Assim, pode haver algum fator genético envolvido que faz algumas pessoas mais propensas do que outras. “Genética” significa que a condição é passada através das famílias. Um episódio dessa doença pode também ser desencadeado por um evento da vida como problema na relação, falecimento, doença, entre outros.

Em muitas pessoas, é uma mistura dos 2. Por exemplo, a combinação de um humor reduzido leve com algum problema pela vida, como estresse no trabalho, pode levar a um espiral abaixo para depressão. As mulheres tendem a desenvolver depressão mais freqüentemente do que homens desenvolvem. Os momentos particularmente comuns para mulheres se tornarem depressivas são após o nascimento do bebê, a depressão pós-parto e a menopausa.

 

Condições Físicas e Depressão

Embora a causa de depressão não seja clara, há algumas coisas úteis para lembrar sobre a depressão em relação às condições físicas.

– Ela é mais comum em pessoas que são conhecidas a ter certas condições físicas.

– O diagnóstico é, às vezes, confundido com algumas doenças não diagnosticadas causadas por condições físicas.

Tratamento

As pesquisas têm mostrado que até metade dos americanos com depressão não obtém ajuda médica por sua condição, por exemplo. Deixada sem tratamento, a depressão principal pode iniciar uma cadeia de conseqüências sociais, emocionais e de saúde, que adicionam ao estresse geral dos pacientes.

Segundo Mayo Clinic, estes incluem abuso de álcool ou droga, ansiedade, isolamento social e conflitos de relacionamento, dificuldades no trabalho ou escola, ou suicídio. O tratamento de depressão pode envolver terapia de psicoterapia, medicamentos, ou uma combinação dos 2.

Auriculoterapia


Quer ter esse mesmo resultado, saiba mais aqui: AURICULOTERAPIA

 

– Medicamento

As drogas prescritas, chamadas antidepressivos, ajudam a mudar o humor por afetar naturalmente as substâncias químicas de ocorrência no cérebro. Há várias categorias de antidepressivos, mas os médicos muitas vezes começam com uma classe de drogas chamadas inibidores seletivos de recaptação de serotonina, e podem tentar outros remédios se a condição do paciente não melhorou.

Os inibidores seletivos de recaptação de serotonina miram a serotonina do cérebro, uma substância química sinalizadora, neurotransmissor, que os estudos descobriram estar envolvida em depressão.

Esta classe de medicamento inclui fluoxetina, e citalopram, por exemplo. Os efeitos colaterais, que são geralmente temporários, incluem mudanças no desejo sexual, problemas digestivos, dor de cabeça, insônia, e nervosismo. Outras classes de antidepressivos incluem inibidores de recaptação de norepinefrina e serotonina, entre outros.

Os medicamentos exigem tempo, geralmente 2 a 4 semanas, para funcionar, e muitas vezes os sintomas como problemas com apetite e concentração, e sono, melhoram antes que as pessoas possam perceber mudanças no humor, segundo National Institute of Mental Health.

 

– Psicoterapia

Também conhecida como terapia de diálogo ou aconselhamento, este tratamento foi mostrado a ajudar alguns pacientes com depressão. Vários estudos sugeriram que combinar psicoterapia e medicamento juntos funciona melhor para tratar pessoas com depressão severa.

Os tipos diferentes de psicoterapia incluem terapia cognitivo comportamental, que ajuda uma pessoa a mudar os padrões de pensamento negativo e os substituir com os mais saudáveis, assim como terapia inter pessoal, que é pensada a ajudar alguém a entender e passar pelos relacionamentos difíceis, segundo National Institute of Mental Health. Outra forma de psicoterapia é a terapia de solução de problemas, que envolve aparecer com soluções realísticas para lidar com situações de estresse.

 

– Tratamentos Menos Comuns

Para pacientes com depressão severa que não responderam a qualquer medicamento ou psicoterapia, os médicos podem considerar estimulação magnética transcraniana, segundo Mayo Clinic. Isso envolve receber pulsos magnéticos breves no couro cabeludo para estimular as células nervosas no cérebro que são consideradas a estar envolvidas na regulação do humor e depressão.

Leave a Reply

Your email address will not be published.